Suspense Três (Estudo em Píxel sobre Tela)

caderno capa preta

3 de agosto, 2009.

Também não sei se ainda estou na casa. Ontem foi assustador. Acordei com este caderno — capa preta! — e esta caneta — Bic! — a meu lado. E como não sei o que será de mim, escrevo. Quem sabe um dia alguém lê. Quem sabe alguém, um dia, entenderá o que houve. Espero que um alguém, algum dia, um curioso por aí tente descobrir o que há naquela (nesta?) casa.

Caixas. Foi o que vi antes que tudo escurecesse. Mas já escrevi sobre isso ontem. (É só o que me lembro delas.)

Onde estou? O quarto (será um quarto?) é pequeno, do tamanho exato para caber uma cama dessas de solteiro e eu deitada no chão, ao lado dela. Não vejo porta. Nem janela. Na parede, papel desses que imitam madeira — tábua corrida. Acho que consigo me lembrar do piso da sala quando olho para as paredes. Alguma emenda dessas deve ser falsa. Como vim parar aqui? Tem que ter uma porta. Vou procurar. …. Não consigo encontrar. Meus dedos doem.

Os cheiros? “Contact”. Lembro-me da época de “volta às aulas”, quando eu encapava livros enquanto minha mãe escrevia etiquetas. Ellen Dante Jardim. Da primeira a 4a série fazíamos isso na sala de jantar do apartamento. Depois eu já era grande suficiente para fazer sozinha. EDJ era mais fácil e mais rápido.

Madeira mofada. No interior, quando eu visitava meu avô na fazenda, dormia num quarto assim — exceto pelo fato de haver janela e porta. Mas era deste tamanho e cheirava à madeira mofada. São Caetano do Rio Acima é uma cidade esquecida por quem fez o mapa e lembrada por São Pedro. Chove muito.

Conforto? Nenhum. O colchão parece feito de feno. O que me leva de volta ao item anterior. Cocô. Um leve cheiro de cocô (desculpe-me… não sei quem vai ler isto, deveria escrever fezes). A coberta parece estar aqui desde o dia em que fecharam a casa —  o dia em que nasci (mas eu não estou tão velha assim! só os dedos doem). Por que resolvi investigar? Por que, meu deus?!

Roupas? Um avental. Verde claro. Desses com abertura atrás. Acho que vou virar isso. Sempre achei estanho avental com abertura na bunda (oops! de novo. Mas qual é mesmo a palavra educada, quero dizer, formal, para bunda? É traseiro? Tem traseiro científico? Ah, sim! Nádegas.) Vou cobrir minhas nádegas. Mas aí o que fica descoberto? Isso importa? Agora? Espere! Ouço um barulho. parece vazamento. gás. ar. sei lá! mas parece que afetou algum não vou ver de onde vem ou se é que vem ouço passos alguém no teto uma luz

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s