… sobre a fé e a ciência

Alguns livros foram escritos para simplesmente serem lidos; outros, para serem degustados e digeridos com lentidão para que cada uma das palavras seja absorvida pelo organismo. A leitura pausada, dedicada, seguida de reflexão permite que nos impregnemos de cada um dos pensamentos. Ler é também dialogar.

Conversa sobre a fé e a ciência, é desses livros que não devem ser lidos com pressa. Compre seu exemplar, coloque dentro dele um lápis e

Conversa sobre a fé e a ciência

esteja pronto para rabiscar as páginas, humanizar seu livro, conversar com os escritores. Frei Betto e Marcelo Gleiser, com Waldemar Falcão levam-nos a ver com mais nitidez as contradições e as convergências entre a fé e a ciência. Eles nos levam a questioná-los, a questionar quem somos, levam-nos a pensar em nossa existência.

Frei Betto, mineiro de Belo Horizonte, estudou jornalismo, antropologia, filosofia e teologia, frade dominicano e escritor de mais de 52 livros; Marcelo Gleiser, carioca, físico, escritor e professor no Dartmouth College, em Hanover, New Hampshire; e Waldemar Falcão, astrólogo, escritor e músico ficaram três dias trancados em um hotel no Rio de Janeiro e conversaram sobre religião, ateísmo, Big Bang, educação, esoterismo, misticismo, etc. Os três falaram sobre o que todos nós sempre nos perguntamos (e provavelmente continuaremos a perguntar) sobre fé e ciência. Foi dessa conversa que surgiu a obra Conversa sobre a fé e a ciência, livro que muda a nossa maneira de lidar com o mundo. É livro que começamos a ler e quando terminamos, já não somos mais aquele leitor das primeiras páginas.

Betto, Frei. Gleiser, Marcelo. Falcão, Waldemar. Conversa sobre a fé e a ciência.  Rio  de Janeiro: Agir. 2011.

____________________________________________

“[…] o professor se deixava questionar pelos alunos, ao contrário de hoje. O aluno tinha que apresentar argumentos para tentar derrubar a teoria que o professor apresentava. O aprendizado se fazia muito mais na base da divergência de opiniões.” (Frei Betto)

“[O ensino é] bem mais bancário, como dizia Paulo Freire. Depositam o conhecimento na cabeça do aluno e, em dois dias, vai tudo embora.” (Frei Betto)

“E tem que ensinar a questionar. Essa é a principal função da educação: dar o instrumento de reflexão para que o aluno possa questionar o mestre.” (Marcelo Gleiser)

“A tensão criativa do homem precisa de um desequilíbrio constante.” (Marcelo Gleiser)

“[…] o bem-viver é saber que o necessário é o suficiente.”(Frei Betto e Marcelo Gleiser)

“Só haverá paz quando houver justiça.” (Frei Betto)

“[É importante] a ciência e as religiões se encontrarem à mesa da ética. Para debater o destino, o futuro da humanidade.” (Frei Betto)

“[…] esse planeta chamado Terra é um oásis raríssimo num Universo extremamente hostil à vida… E que vai acabar; não há a menor dúvida de que a Terra vai acabar. Mas ainda vai demorar muito, nada a ver com esse apocalipse de que está se falando por aí, que, aliás, se fala há milênios — os druidas também tinham medo de o céu desabar sobre as suas cabeças.” (Marcelo Gleiser)

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s