O veneno da aranha vermelha

A comunidade queria se livrar da aranha vermelha. Em qualquer lugar — na praia, em casa, no restaurante e provavelmente até no motel com o amante —, o assunto era o bravo veneno daquele aracnídeo. — Cuidado com a Vermelita Venenosa! — Me disseram que uma dessas pode transformar nossa comunidade em uma selva. Aí … Continuar lendo O veneno da aranha vermelha

Carta aberta a minha família

Rio de Janeiro, 19 de setembro de 2018. Querida família, Gostaria de sentar à mesa da vovó e olhar nos olhos de cada um e cada uma de vocês para dizer que sempre tive amor por nossa família. Cada momento que passamos juntos, cada brincadeira, cada situação tão peculiar nossa estão bem guardados no devido lugar: meu … Continuar lendo Carta aberta a minha família

Sobre “Problemas de gênero”*

A coletividade cria valores; a língua é um sistema de valores que, por sua vez, surge em meio social, resultante de força social. A quem serve o discurso? — perguntou Foucault.

Orgulho

“Todos – todos nós – fazemos parte da família de Deus. Todos devemos ser autorizados a amar uns aos outros com honra.” — Desmond Tutu Já me chamaram de sapatão. Algumas vezes. No meio da rua, já ouvi gritos que vinham de um carro com homens que colocaram o corpo para fora em um esforço … Continuar lendo Orgulho

A vida está ameaçada

Em qualquer parte do mundo, a organização em comunidade é estratégia dos seres humanos para sobreviver. É na comunidade que aprendemos sobre amor, comprometimento e união, além de desenvolvermos relacionamentos que ultrapassam a superficialidade da máscara do conformismo — o rosto em conformidade com normas preestabelecidas. O conceito de que acumular bens materiais — objetos … Continuar lendo A vida está ameaçada

O tempo da escrita

O tempo da escrita é o agora. Em ritmo lento faz-se história; quando é urgente, revolta. A escrita é vivência em seu próprio tempo. Ela é íntima, forma-se na mente, constrói, desconstrói, reconstrói. É devir. Quando transforma o status quo, é revolução. A escrita é vigente; seu ritmo é respiração. No pretérito, é registro ou ficção. … Continuar lendo O tempo da escrita

Nossa gente não está na TV

“Não tente viver no domingo o que é para ser vivido na segunda-feira.” No município mineiro de Novo Cruzeiro, Dina é coordenadora da Jornada Mineira de Alfabetização “Sim, eu posso” — método cubano de alfabetização “Yo, si puedo!" utilizado pelo MST para superar o alto índice de analfabetismo no Brasil. Lá no nordeste de Minas, ela … Continuar lendo Nossa gente não está na TV

Estamos em crise

Digo, há muito tempo vivemos uma crise e precisamos de certa intervenção. Pode faltar vegetais nas Ceasas, carne nos açougues e enlatados no mercado, mas o que não falta é alimento para reflexão. De todas as greves neste país, dizem, esta é a mais onerosa para o Brasil. O prejuízo causado em poucos dias é … Continuar lendo Estamos em crise

O grande evento

Convido todas as pessoas para um grande evento! Vamos nos reunir ao redor e ao longo de mesas, em um espaço que é nosso. Haverá bandas tocando pagode, rock’n’roll e outras modas — também as de viola. O cardápio será variado e preparado por pessoas que já têm experiência na cozinha, mas quem quiser ajudar, … Continuar lendo O grande evento

Elucubração Pascal

Hoje, no primeiro domingo depois da lua cheia do equinócio de outono, lembramos a ressurreição de um preso político, um socialista, subversivo que lutou pelos direitos das pessoas, não discriminou nem julgou, mas considerou: todos os seres humanos são dignos de amor e compaixão. Esse homem não era moralista nem preconceituoso, não apontava pecados e … Continuar lendo Elucubração Pascal